segunda-feira, 18 de abril de 2011

O QUE HÁ PARA LER (Por Carlos Braga Mueller)



Nova Letra Editora. Blumenau. 2011.

No dia 15 de março o escritor blumenauense Ricardo Brandes esteve na Livraria Catarinense, no Shopping Neumarkt, para um bate-papo e sessão de autógrafos do seu novo livro "O Jardineiro de Fallujah e outras histórias".

Depois de "Histórias de Oktober: Bem-vindos a Blumenau" e "Nino, o Menino do Morro", Brandes retorna e, entre tantos contos, aproveita para chamar a atenção para os problemas que a sociedade moderna enfrenta.

No conto que dá nome ao livro, um jardineiro de Fallujah, cidade iraquiana, queixa-se a alguém, por carta, de um soldado invasor que, inconformado com o belo jardim em meio à destruição, constantemente destrói as plantas sem qualquer motivo plausível. Pela carta, constata-se que a pessoa que vai recebê-la, Halifa, já havia deixado o país há tempo.
O soldado representa o poderio destruidor da invasão militar alienígena que o Iraque sofreu, o que fica comprovado pela mensagem colocada ao final do conto, irônica, mas que denuncia o estado catatônico que enfrentamos no dia a dia. E então, ficamos sabendo também para quem a carta está sendo endereçada.

Em "O Buraco de Sadam", Brandes procura mostrar um pouco do lado humano de um iraquiano que acabou sendo detido quando se escondia em um local nada condizente com a sua biografia.

Nas "outras histórias", uma delas reverencia as vítimas do Tsunami que ocorreu na Ásia em 2004, em especial ao grande número de turistas suecos que passavam suas férias longe do país...

Enfim, percorrendo as páginas deste livro encontram-se momentos de diversão cultural, sim, mas acima de tudo exemplos para muitas reflexões.

Fonte: Jornal Correio Comunitário Blumenau / Ed. 210
Por Carlos Braga Mueller, Jornalista e Escritor

Um comentário:

Oliver Thi! disse...

Parabéns pela publicação amigo Ricardo!
Genézio e eu mandamos muita vibração positiva e boa sorte!
=)

TESTE

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...